#QueroMeAposentar Trabalhadores protestam em todo País

site-1a.jpg

DIA NACIONAL DE LUTA CONTRA A REFORMA DA PREVIDÊNCIA

O SINDBANCÁRIOS TERESÓPOLIS ESTÁ REALIZANDO NESTA SEGUNDA-FEIRA, DIA 19/02, DESDE ÀS 10H, EM FRENTE ÀS AGÊNCIAS DE TERESÓPOLIS, ATO CONTRA A REFORMA DA PREVIDÊNCIA, COM DISTRIBUIÇÃO DE PANFLETOS E AUXÍLIO DE CARRO DE SOM, EXPLICANDO SOBRE AS MENTIRAS DIVULGADAS PELO GOVERNO QUE TEM COMO OBJETIVO A APROVAÇÃO DA REFORMA E O FIM DA APOSENTADORIA, E APONTANDO QUAIS OS DEPUTADOS FEDERAIS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO QUE JÁ SE PRONUNCIARAM A FAVOR DA REFORMA E QUAIS AINDA NÃO SE PRONUNCIARAM.

site 1

site 2

site 3

Protestos contra o fim da aposentadoria param ônibus na Grande São Paulo e fábricas no ABC. Tem paralisações e atos em todo o Brasil contra reforma da Previdência

CUT, demais centrais sindicais e movimentos sociais estão nas ruas nesta segunda-feira (19) lutando contra a reforma da Previdência do golpista e ilegitimo Michel Temer (MDB-SP) que acaba com a aposentadoria de milhões de brasileiros.

“Somos vitoriosos. Temer não está conseguindo votar essa reforma porque não tem votos para aprovar a Emenda Constitucional que acaba com a aposentadoria. E não tem votos por causa das nossas mobilizações. Ganhamos o debate na sociedade, não é reforma é desmonte”, afirmou o presidente da CUT, Vagner Freitas, ao avaliar as primeiras mobilizações desta manhã.

“Os deputados têm medo de votar e não serem reeleitos”.

Segundo Vagner, apesar do total controle que os golpistas têm do Congresso Nacional,Temer não conseguiu até agora entregar para os patrocinadores do golpe que destituiu a presidenta Dilma Rousseff, a joia da coroa, que é a reforma da Previdência, porque os trabalhadores e trabalhadoras estão mobilizados, realizando atos, paralisações e greves, como a de 28 de abril do ano passado, uma das maiores da história do Brasil.

“E a mobilização não pode parar. A qualquer momento eles podem dar mais um golpe e tentar aprovar o fim da Previdência pública”, alerta Vagner, que conclui dizendo: “conseguimos vitórias pontuais, apesar de não estarmos vivendo uma democracia plena. Impedir a votação da reforma em um momento como esse é uma grande conquista da classe trabalhadora”.

Para o secretário Geral da CUT, Sérgio Nobre, a mobilização desta segunda-feira mostra que “o povo atendeu ao chamado da Central Única dos Trabalhadores em função da possibilidade da votação da reforma da Previdência”.

“Todo trabalhador metalúrgico sabe da importantância que a Previdência tem na vida de todos os trabalhadores e trabalhadoras, não só dos metalúrgicos e metalúrgicas, mas dos professores, professoras, dos bancários e bancárias, dos estudantes. A Previdência é muito mais que aposentadoria. É um sistema de seguridade social que foi conquistado na luta dos trabalhadores e que agora eles querem desmontar assim como fizeram com a legislação trabalhista”.

Nesta madrugada, dirigentes do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC percorreram as fábricas e ficaram impressionados com a adesão á paralisação.

“É Impressionante como os trabalhadores atenderam ao chamado e ninguém veio para os locais de trabalho”, disse Sérgio.

No ABC, os metalúrgicos da Mercedes Benz nem saíram de casa. Os ônibus chegaram vazios na fábrica . Na Ford, mais de 3 mil trabalhadores cruzaram os braços.

Em todo o Brasil, a mobilização começou cedo. Os motoristas de Santo André, São Bernardo do Campo, Sorocaba e Guarulhos, na região metropolitana de São Paulo, cruzaram os braços contra a reforma da Previdência do golpista e ilegítimo Michel Temer.

Em Salvador e Florianópolis os ônibus também não saíram das garagens.

Tem protestos também, nos aeroportos de Congonhas, em São Paulo, e em Porto Alegre.

Quimicos de São Paulo fecharam o cruzamento da avenida Nações Unidas. Os petroleiros também cruzaram os braços em várias refinarias do País.

Fonte: CUT