Enfraquecimento de bancos públicos atinge trabalhador em cheio

20161122-bb-publico2.jpg

Economista diz que bancos públicos fortes moderam apetite por lucro dos privados. Categoria bancária protesta contra fechamento de agências e demissões

CONTRAF CUT LOGO

Webmail
Acesso
Restrito

Selecione o idioma​▼

Buscar

Institucional Secretarias Editorias Acordos e Convenções Notícias Agenda Publicações Multimídia Links Contato
NOTÍCIAS
Enfraquecimento de bancos públicos atinge trabalhador em cheio
Economista diz que bancos públicos fortes moderam apetite por lucro dos privados. Categoria bancária protesta contra fechamento de agências e demissões

05/12/2016
TVT
No Rio de Janeiro, bancários promoveram abraço simbólico em defesa da Caixa Econômica Federal – TVT
No Rio de Janeiro, bancários promoveram abraço simbólico em defesa da Caixa Econômica Federal
A economista Maria Cristina Penido Freitas alerta que quem mais perde com o enfraquecimento dos bancos públicos é o trabalhador. Segundo ela, a atuação de bancos públicos fortes permite moderar o apetite por lucro dos bancos privados. “Nós vamos pagar mais tarifas, por exemplo.” Ela lembrou ainda que as agências ameaçadas de fechamento estão localizadas em bairros mais pobres.

Depois de o governo federal anunciar processo de reestruturação do Banco do Brasil, que vai reduzir o número de agências e de postos de trabalho em todo o país, os bancários temem agora pelo futuro da Caixa Econômica Federal.

Na última semana, os trabalhadores do Rio de Janeiro realizaram um abraço simbólico à sede da Caixa. Eles também realizaram o primeiro Ciclo de Palestras em Defesa da Caixa Econômica Federal, que reuniu economistas, sindicalistas e bancários para discutir os rumos da instituição.

“No caminho que está sendo trilhado por este governo, fica claro qual é o objeto, que é esvaziar os serviços da Caixa Econômica, reduzir os postos de trabalho e privatizar. A pergunta que fazemos é: vai privatizar os serviços da Caixa Econômica? E a resposta é não. Não acredito que nenhum banco privado tenha interesse em dar o atendimento que é dado hoje”, afirmou a presidenta do Sindicato dos Bancários do Rio de Janeiro, Adriana Nalesso, à repórter Viviane Nascimento, para o Seu Jornal, da TVT.

Para a ex-presidenta da Caixa Maria Fernanda Ramos Coelho, todos os bancos públicos – Caixa, Banco do Brasil e BNDES – estão ameaçados. “É do conteúdo do golpe. É do conteúdo desse estado de exceção que a gente já tá vivendo. (O objetivo) É desmontar toda a rede de proteção social. As primeiras decisões que esse governo golpista toma, quais são? Demissão de funcionários e fechamento de agência”, denunciou.

Fonte: Rede Brasil Atual / TVT