Palestra realizada pelo SindBancários Teresópolis escancara a farsa por tras da Reforma da Previdência

20171206-Palestra-ref-prev-b.jpg

O SindBancários Teresópolis realizou nesta quarta, 06/12, a Palestra sobre a Reforma da Previdência com a professora Denise Lobato Gentil, no auditório da Universidade Estácio, em Teresópolis.

20171206 Palestra ref prev c

20171206 Palestra ref prev a

20171206 Palestra ref prev d

Durante sua palestra, a Professora e Economista, faz uma rica explanação, e em sua avaliação a reforma da Previdência proposta por Michel Temer no fim de 2016 tem como objetivo oculto privatizar o setor.

Na avaliação dela, as exigências impostas aos trabalhadores são tão altas e as perspectivas de obter uma boa aposentadoria, com valor integral, foram reduzidas a tal ponto que estimularão a busca por fundos de previdência privada complementar. A reforma também tem outro objetivo: achatar os gastos públicos. Ao fazer isso com a Previdência e com a Assistência Social, ela também vai liberar mais recursos para pagar juros. E os grandes proprietários de títulos públicos no Brasil são os mesmos dos fundos de previdência, que são os fundos dos bancos.

“Falso “rombo” da Previdência, propagado pela mídia, encobre tentativa de retirar direitos e privatizar. Ao não cobrar sonegadores e conceder renúncias fiscais, a União alimenta o problema que diz combater.”

“Se a reforma tivesse a ver com ajuste fiscal, o governo tentaria aumentar as receitas da Seguridade Social. Ao invés disso, busca comprimir os gastos. O governo poderia, por exemplo, abrir mão das renúncias fiscais em favor de empresas que não dão nada em contrapartida ou cobrar a dívida dos sonegadores da Previdência”.

“Em primeiro lugar, porque o déficit foi provocado pelo pagamento de juros, o maior gasto do orçamento do governo. Enquanto o déficit anunciado da Previdência pelo governo é de 149,7 bilhões de reais, o governo entrega ao setor privado algo em torno de 501 bilhões ao ano, ou seja, 8% do PIB. A conta não fecha, principalmente, pelo gasto com a dívida pública.”

Detalhamento da palestra com dados fornecidos pelo governo e pelo próprio Banco Central, foram minuciosamente explicados pela economista, e conclui, que somente com uma mobilização da sociedade será possível impedir a votação de mais este golpe, que trará prejuízos irreversíveis à classe trabalhadora.

Imprensa SindBancários Teresópolis com Carta Capital